terça-feira, 29 de maio de 2018

O TERRAÇO E A CAVERNA no Leitor Compulsivo


"Jornalista e aprendiz de serial killer", Jeff Rodrigues é o editor do Leitor Compulsivo, site com informações, resenhas, artigos e entrevistas relacionados a filmes, séries e literatura. O TERRAÇO E A CAVERNA também apareceu por lá, e foi lido pelo colaborador Junior Silva, que achou a história "ousada, fugindo do que estamos habitualmente acostumaddos a ver nos livros nacionais". Além disso, Junior disse que



Leitor Compulsivo: http://leitorcompulsivo.com.br/

Íntegra da resenha: http://leitorcompulsivo.com.br/2018/05/20/resenha-o-terraco-e-a-caverna-mauricio-limeira/ 

quinta-feira, 17 de maio de 2018

O ADVERSÁRIO no Cá Entre Nós


Editado por Viviane Sophie, o blog Cá Entre Nós é voltado à literatura, games, animes, mangás, séries "e muito mais". E agora eles publicaram uma resenha de O ADVERSÁRIO, escrita pela colaboradora Nordeci Gomes. Professora e estudante de Direito, Nordeci gostou do livro. Inclusive do final, que considerou "sensacional". Veja o que mais ela achou;


Seguem os links:

Blog Cá Entre Nós: http://www.oblogcaentrenos.com.br/

Íntegra da resenha: http://www.oblogcaentrenos.com.br/2018/05/resenha-o-adversario-mauricio-limeira.html


O TERRAÇO E A CAVERNA no Mundo das Resenhas



O romance foi agora resenhado pelo site Mundo das Resenhas, em texto escrito pela colaboradora Jaíne Belmonte, de São Bernardo do Campo, SP. Veja o que ela achou:

"Foi uma leitura muito cativante para mim, só consegui desgrudar os olhos do livro ao virar a última página e me vi feliz e triste ao mesmo tempo, com o final tão inesperado que li."

Links:

Mundo das Resenhas: http://www.mundodasresenhas.com.br/

Íntegra da resenha: http://www.mundodasresenhas.com.br/resenha-o-terraco-e-a-caverna-mauricio-limeira/


segunda-feira, 7 de maio de 2018

CLARIDADE no blog Contos de Terror


Iniciativas literárias na área do horror são escassas. Por isso, quando aparece alguma eu sempre procuro participar. Foi assim com o blog Contos de Terror, editado por Paulo Soriano, que promoveu um Concurso Literário Bram Stoker, onde os vencedores seriam incluídos numa coletânea em e-book pela Free Books Editora Virtual. Escrevi, especialmente para o concurso, o conto CLARIDADE, uma história de lobisomem (nunca havia escrito sobre o tema), que foi selecionado para o livro e está disponível no blog.

Seguem os links:

Conto: http://www.contosdeterror.site/2018/05/claridade-conto-de-terror-mauricio.html

Download do ebook com todos os contos selecionados, em pdf, epub e mobi: http://freebookseditora.com/index.html

Blog Contos de Terror: http://www.contosdeterror.site/




sexta-feira, 23 de março de 2018

Errado



Você tem certeza de que não há problema em deixar, no final de semana, as crianças na casa da avó. Além do mais, a viagem já está marcada, você precisa desse trabalho (o pagamento é bom e vai ajudar na mensalidade do mestrado) e os médicos garantiram que a velha está plenamente recuperada da última crise. Além do mais, há uma enfermeira.
            Não há nada – nada, você repete a si mesmo – que possa dar errado.

*

            De volta para casa, as crianças no carro, você sente. Algo está errado.
            “O que houve? Aconteceu alguma coisa na casa da vovó?”
            “Nada.”
            “Está tudo bem?”
            “Está.”
            Estão caladas demais. Dispersas demais. Em casa, a primeira coisa que você faz é ligar pra velha.
            “Aconteceu alguma coisa com as crianças?”
            “Não.”
            “Elas brigaram? Se machucaram? Fizeram alguma coisa?”
            “Nada.”
            A velha, também diferente.

*

            As crianças se trancaram no quarto. Você chama as três. Bate na porta. Com força. Esmurra a porta. Vai ter que arrombar.
            Porta enfim aberta, as crianças estão sentadas na cama.
            “Por que trancaram a porta?”
            “Não trancamos.”
            “Eu tive que arrombar!”
            “Não fomos nós.”
            “Quem foi? Não tem mais ninguém aqui.”
            As crianças não respondem.

*

            Você telefona pra velha.
            “Tem alguma coisa errada com as crianças. O que você fez?”
            “Não quero falar com você.”
            Ela desliga na sua cara. Você liga de novo.
            Atende a enfermeira.
            “Ela não está. Saiu.”
            “Acabei de falar com ela.”
            “Ela saiu com o filho dela.”
            “O filho dela sou eu.”
            “Não é.”
            Agora é a enfermeira que desliga na sua cara.
            Antes que você tenha tempo de xingar, as crianças entram no seu quarto e trancam a porta.


segunda-feira, 12 de março de 2018

Entrevista para o Vai Lendo


Admito que não gosto de dar entrevistas. Principalmente quando vejo que o veículo faz as mesmas perguntas para todos os entrevistados. Por isso, não foi sem surpresa que recebi as perguntas da jornalista Juliana D'Arêde, do site literário Vai Lendo, e pude verificar que, ao contrário da maioria, Juliana fez o dever de casa. Perguntas bem formuladas, feitas por quem pesquisou o entrevistado e procurou extrair dali alguma coisa interessante. Coisa de jornalista de verdade. O entrevistado agradece.

Conheça o Vai Lendo, que vale a pena. Ele está aqui.

E a entrevista comigo, aqui.




quinta-feira, 8 de março de 2018

O TERRAÇO E A CAVERNA no Rota Cult



No ar desde 2013, o Rota Cult começou como um blog cultural. Hoje é um portal voltado à cultura, principalmente a cultura do Rio de Janeiro, e trata de cinema, teatro, exposições, gastronomia e literatura, com textos produzidos por diversos colaboradores. 

Um desses colaboradores, a jornalista Luana Ferreira, também leu O TERRAÇO E A CAVERNA, nos surpreendendo com uma resenha que classifica o livro como "inspirador" e "um expoente importante de ser analisado". Além disso, Luana considerou o livro como

"uma viagem sem igual e raramente vista na literatura nacional". 

Conheça o Rota Cult aqui.

E leia a íntegra da resenha de Luana Ferreira aqui.


segunda-feira, 19 de fevereiro de 2018

CICLOTIMIA no Jornal RelevO



RelevO é um jornal impresso de Curitiba,  dedicado à literatura. Em recente seleção de textos, enviei o conto CICLOTIMIA, e ele foi aceito. Saiu na edição de janeiro, que pode ser lida/baixada aqui.

RelevO é editado por Daniel Zanella, a quem damos os parabéns pela publicação, que já está em seu oitavo ano, e agradecemos a lembrança. 

sexta-feira, 16 de fevereiro de 2018

O TERRAÇO E A CAVERNA no Rotina do Leitor


Informação variada nas áreas de literatura, séries e filmes é o que propõe o site sergipano Rotina do Leitor, editado por Jonas Henrique. Jonas considerou O TERRAÇO E A CAVERNA "lindo, emocionante e inteligente", e nos presenteou com uma elogiosa resenha que nos trouxe bastante satisfação. Veja um trecho:


"Maurício Limeira criou uma narrativa tocante e muito bela, seu texto traz uma subjetividade encantadora, uma obra que fala diretamente com leitor, que traz uma linguagem poética e o mesmo tempo nos permiti pensar e refletir sobre diversos temas que foram explorados em sua narrativa e que podemos levar para o nosso dia a dia."

Rotina do Leitor está aqui.
E a íntegra da resenha, aqui.

quinta-feira, 8 de fevereiro de 2018

O TERRAÇO E A CAVERNA no Viagem Literária


Viagem Literária é um blog editado por Fernanda Alvarenga de Assis, com colaboradores.  Voltado ao mundo dos livros, também publicou uma resenha de O TERRAÇO E A CAVERNA.

Ainda que não tenha gostado do aspecto metafórico, e nem do final, a resenhista Evelyn Cunha destacou pontos que considerou relevantes na história de Quinha e Paco. E achou isso:


"O livro convida o leitor a experimentar um choque de realidade, (...). Essa abordagem é superválida, relevante e até mesmo necessária. É um grande aprendizado para quem está lendo." 


A íntegra da resenha pode ser lida aqui. E o Viagem Literária está aqui.


sexta-feira, 26 de janeiro de 2018

CICLOTIMIA na LiteraLivre




Pesquisadora, escritora, ativista cultural e cineasta independente, Ana Rosenrot ainda encontra tempo para editar bimestralmente a LiteraLivre, revista eletrônica voltada à divulgação da literatura. A LiteraLivre está comemorando um ano, e nesta edição de aniversário uma das muitas obras publicadas foi o meu CICLOTIMIA. A revista pode ser baixada em pdf aqui, ou lida online, aqui. Aproveite.

terça-feira, 5 de dezembro de 2017

No escuro não se via o rosto do homem



No meio da noite, um choro de criança.
A mãe, menor de idade, levantou da cama ainda sob efeito de drogas. O pai continuou dormindo.
Diante do bebê, as mãos indecisas na cintura, a mãe não sabia o que fazer. Fome não era. Talvez o menino estivesse com dor.
“Dê isso a ele.”
A mãe se virou com um susto.
“Quem é você?”
“Pode dar. Ele não vai mais incomodar.”
No escuro não se via o rosto do homem. Mas não era a voz do pai.
A mãe pegou o vidrinho que o desconhecido oferecia.
“Pode dar tudo pra ele.”
Sentindo-se tomada de uma leve vertigem, e louca par retornar logo para a cama, a mãe fez o bebê engolir todo o pó branco contido no vidrinho. Ficou olhando a criança parar de chorar e finalmente adormecer.
“Não falei?”
“É. Obrigada. Você é amigo do Marcelinho?”
“Talvez.”
“Ok. É que eu nunca tinha visto você aqui. Vou voltar pro quarto, tá? Vai ficar aí?”
“Vou.”
Enquanto a mãe voltava para a cama, o desconhecido pegou a criança no colo e deixou o apartamento sem fazer barulho.
 


terça-feira, 17 de outubro de 2017

O TERRAÇO E A CAVERNA no Atraídos pela Leitura




No ar desde 2015, o blog Atraídos pela Leitura é criação de Gio Souza, graduada em Letras que acredita sabiamente que as coisas boas devem ser compartilhadas. Gio também leu O TERRAÇO E A CAVERNA, e achou o seguinte sobre o livro:


Acreditem, essa história e bastante rica e reflexiva. (...) Narrado em terceira pessoa, a obra de Maurício Limeira apresenta uma história surpreendente, com uma trama bastante original, além de uma linguagem simples o que faz com a leitura seja agradável e instigante. 


Atraídos pela Leitura fica aqui.
E você confere a íntegra da resenha aqui.


sexta-feira, 6 de outubro de 2017

Júnior e o lagarto


           Seu animal de estimação era um lagarto grande, cinza, do tamanho de um cachorro de pequeno porte. Maior, se contasse a cauda comprida. Júnior dizia que era o seu pequeno dinossauro.

            O rapaz montava armadilhas ao redor da casa para capturar vivos os ratos e os outros animais que apareciam. Gostava de coloca-los na mesma caixa com o lagarto e ficar assistindo. Enquanto o intruso caminhava desconfiado pelo lugar estranho, o lagarto esticava a língua bífida, farejando através dela a novidade. Então avançava. A vítima era abocanhada e sacudida violentamente de um lado para o outro. Caso conseguisse se desvencilhar e fugir, o lagarto a capturava novamente e repetia o processo. O embate não durava mais de cinco minutos, e sempre terminava com o lagarto alimentado e satisfeito. Era um bom predador. Fascinado, Júnior chegava a elogiar o amigo: “Bom garoto”. 

Num domingo de manhã, Júnior encontrou o lagarto morto. Metade do corpo havia sido devorada, as vísceras ainda quentes expostas no chão da sala.

Júnior recolheu o corpo delicadamente. Levou-o para o quarto e deitou-se com ele na cama, em prantos. Ficaram assim até anoitecer, na escuridão da despedida, quando o silêncio foi interrompido por um crescente rumor. Júnior levantou a cabeça, desconfiado. Concentrou-se no ruído e, quando enfim identificou-lhe a origem, se viu tomado pelo horror.

Vindo de todos os lados, no chão, era possível ouvir nitidamente o som de um milhão de ratos que se amontoavam por cada canto da casa, subindo pelos móveis e devorando o que encontrassem pela frente. Quando sentiu que começavam a subir pelos pés da cama, tudo o que Júnior conseguiu fazer foi abraçar o lagarto morto e, incapaz de pôr para fora o pânico que o estrangulava, gemer.