quarta-feira, 18 de agosto de 2010

Posição de feto retorcido

Como não sabia o que viera antes, se a dor de cabeça ou o medo, decidiu que chegaram juntos. O frio veio depois. E como não tinha coragem para sair da posição de feto retorcido que o medo lhe estava impondo, não conseguiu fechar a janela, por onde entravam ventos, lixo, chuva e mais medo. O dia estava indo embora e levava com ele a luz. As luzes. Ver então o quarto escurecer por completo, para ele foi como um fechar de olhos sem retorno.

6 comentários:

  1. sempre o medo, dominando...
    belo blog, adorei seus textos, volto co mais carinho, para ler com dedicação.

    obrigada por me enviar o link.

    abraços leek

    www.leeksteffens.blogspot.com

    ResponderExcluir
  2. Leek, que bom tê-la de volta. Eu que agradeço a visita. Continue por perto.

    Abração,
    Maurício

    ResponderExcluir
  3. Um texto literalmente obscuro.
    Belo espaço.
    Um abraço!

    ResponderExcluir
  4. Seja bem vindo, Jairo. Que bom que gostou, volte sempre.

    Abração.

    ResponderExcluir
  5. Me imaginar assim, em posição fetal, com medo... arrepia.

    ResponderExcluir
  6. A intenção é essa, Rosa...

    Beijos

    ResponderExcluir